... e deixaram-na entregue aos lavradores da primeira aldeia que toparam. A aldeia demorava às abas do Monte Córdova, serra que se empina e ondeia com as fragosissimas encostas até à vila de Santo Tirso.
In A Bruxa de Monte Córdova, pp 178-Camilo Castelo Branco

30 de junho de 2015

Damascos

Ano muito bom na colheita de damascos.
É com esta magnifica fruta que fazemos o primeiro doce em cada ano.

28 de junho de 2015

Hortênsias


Hortênsia (Hydrangea macrophilla)
 …Na maior parte das espécies de Hydrangeas as flores são sensíveis ao PH, sendo as flores de cor roxa escura ou azul cobalto prevalecentes em solos mais ácidos, enquanto a cor branca ou verde clara indica que o solo é neutro e a cor de rosa resulta de terrenos alcalinos.”

Por cá, estas magnificas flores são muito comuns e são chamadas de granjas.

As publicações sobre o assunto referem as particularidades do solo como sendo determinantes nas cores, mas… será que é assim como descrito? Junto ao nosso alpendre tal não acontece como se verifica pela foto. Estas são resultantes de estacaria que  efetuamos no ano passado e que mantiveram as cores de origem no mesmo terreno lado a lado plantadas.

5 de maio de 2015

Batata doce

A nossa prática no cultivo de batata doce é muito residual, limitamos o seu plantio a um pequeno canteiro mais para preservar práticas antigas e não desconhecemos a suas vantagens alimentares.
Fazemos ao jeito das nossas avós, como se fossem arranjos de cozinha dentro de vasilhas de vidro a ganhar  raízes e ramas.

Nesta altura do ano  retiramos os "pézinhos" de rama da própria batata doce e transplantamos para a terra tendo o cuidado de a manter sempre com humidade suficiente para assegurar o enraízamento.
Lá para o fim do verão é altura de arrancar as batatas e confeccionar algumas receitas, tal e qual como no tempo das nossas avós, cá por estas bandas...

15 de abril de 2015

Cebola de inverno

No que respeita`ao cultivo da cebola vai já no terceiro ano que plantamos o chamado cebolo de dias curtos ou de inverno e temos razões para insistir, principalmente porque nos dá muito menos trabalho, sobretudo menos ervas para arrancar e pouca rega.

No primeiro ano não foi grande coisa, diria até desmoralizador mas, no segundo, tivemos sucesso e  este ano a cebola já aparenta uma boa colheita, plantada na última quinzena de novembro para ser colhida dentro de 5/6 semanas.

A prática do cultivo de cebola por estas bandas é, por via de regra, plantar em março a chamada cebola dos dias grandes para ser colhida entre julho e agosto. Nós também o fazemos e não notamos diferença nenhuma no aspecto da conservação entre uma e outra cebola
 

7 de fevereiro de 2015

Chuchu

Ainda vai tempo bastante frio para os plantar, mas o facto é que estes chuchus estão bem "prontinhos" e a pedir terra... Vamos aguardar mais alguns dias e para a próxima semana lá teremos que o fazer.
O ideal seria quando as temperaturas estivessem mais amenas porque o chuchu não gosta de frio e corremos o risco de se perderem.
São algumas das variedades conhecidas e caso frutifiquem é nossa intenção ver qual é a mais produtiva.

Do chuchu nada é desperdiçado. Os frutos, as folhas e as pontas dos ramos são comestíveis, embora seja mais utilizado em culinária na substituição da batata.

23 de dezembro de 2014

Dióspiros

Dióspiros para um Natal mais doce... para todos os amigos e visitantes do Horta de Codeçais.
Excelente fruto de inverno nem sempre devidamente apreciado.
Para colhermos este fruto quando bem maduro temos pela frente " guerra " aberta com a passarada, especialmente os melros que estabelecem a parceria da comedoria sem pedirem licença para tal - mas não há muito a fazer -  e o melhor é deixá-los aproveitar do que a natureza dá.  

15 de dezembro de 2014

Mel... de presente de Natal

Sugestão para oferecer aos amigos no Natal : - Mel.
Considerado como presente de bom gosto e de preocupação com a saúde de quem mais gostamos. Desde o mel simples à combinação de sabores com aromáticas passando pelo chocolate, frutos secos e citrinos... o mel é sempre divinal.

Gostou da sugestão? - então vá a
 https://www.facebook.com/MelTradicional



22 de novembro de 2014

Alhos

É chegado o tempo de plantar os alhos.
Aproveitando uma ligeira melhoria do tempo, mais ao jeito de "aberta" entre chuveiros, abrimos os regos e plantamos apenas uma parte dos alhos que habitualmente metemos à terra para as necessidades de consumo cá de casa.
Ainda estes dias, logo que o tempo permita acabaremos a sementeira do alho por forma a fazer jus ao rifoneiro popular: - " pelo Natal bico de pardal".

16 de outubro de 2014

Pêra General Leclerc

Ainda vai tempo de colheita no nosso pomar em algumas variedades de pêra e maçã mas o tempo chuvoso dos últimos dias não se compadece.
Há quatro anos atrás acrescentamos mais algumas variedades de pêra e de entre elas plantamos 2 exemplares da variedade General Leclerc pelo facto de a maturação ocorrer por esta altura.
Aquando da compra fomos informados ser uma variedade produtiva.
O facto é que passados dois anos ambas foram atacadas pela "broca" em que uma delas se perdeu e esta , embora tendo sido reduzida quase pela metade, no ano passado vingou apenas um único fruto de calibre corrente.
Para espanto nosso este ano voltou a vingar apenas um fruto mas desta vez com as proporções visíveis na foto com o peso de 492 grs.
Ficamos a pensar se a informação dada de ser produtiva é quanto ao calibre...
Esperamos pelo próximo ano para confirmar.


6 de outubro de 2014

Feijão seco



O sol dos últimos dias veio dar uma ajuda e tanto na secagem do feijão para semente e para utilizar em saborosas sopas.
Feijão riscadinho, de trepar, o conhecido feijão verde.
Nas redes da horta ainda há muito feijão nas vagens para apanhar e debulhar, feijão deitado à terra já o verão ia avançado. Oxalá a chuva que hoje chegou não tenha vindo para ficar…

17 de setembro de 2014

Vespa Crabro


Em finais de Agosto foram avistadas no pomar quantidades significativas de vespas de tamanho maior que o habitual que causaram estragos significativos em pereiras e em ameixeiras. Traçavam a casca da fruta mais madura e devoravam o interior. Face à suspeita de estarmos perante a vespa velutina que já causou prejuízos nas colmeias instaladas nas proximidades do pomar e  como somente usavamos armadilhas para a mosca da fruta ( furos pequenos ), colocamos recentemente também armadilhas para este tipo de insecto  (furos maiores).
Ontem, a chuva parou ao fim da manhã e aproveitamos para substituír o liquido das armadilhas colocadas nas ameixeiras - devido à chuva fazemos a substituição dia sim, dia não.
                            Ao fim da tarde, quase no lusco-fusco já havia "prendas" dentro de uma das armadilhas.

 Hoje fomos confirmar mas... tratava-se apenas de vespas crabro.

Mas nem por isso deixa de ser uma espécie a combater pois embora se alimentem preferentemente de abelhas, esta espécie de vespa é muito agressiva quando algo ou alguém se aproxima do manjar em que se deleitam.

 Temos a lembrança de vermos na RTP um programa sobre esta espécie de vespa cuja constatação apontava: - "A Vespa Crabro é uma das maiores preocupações dos apicultores. Normalmente fazem o ninho em árvores velhas de madeira putrefacta e se encontram uma colmeia dizimam-na sem problemas: atacam as abelhas produtoras de mel, cortam-lhes a cabeça com as poderosas mandíbulas e comem-lhes o abdómen."





A tudo isto nós acrescentamos que a fruta também está na sua dieta.