... e deixaram-na entregue aos lavradores da primeira aldeia que toparam. A aldeia demorava às abas do Monte Córdova, serra que se empina e ondeia com as fragosissimas encostas até à vila de Santo Tirso.
In A Bruxa de Monte Córdova, pp 178-Camilo Castelo Branco

15 de setembro de 2015

Feijão-da-espanha

Dia de chuva intensa que impede alguns trabalhos no campo...mas deixa algum tempo livre para actualizar o blog com novo post...

Há dois anos atrás grande parte das nossas sementes de feijão rajado - para consumir como vagens ou feijão verde - foram devoradas pelo gorgulho. Ao aproximar-se a altura de o meter à terra, por acaso, compramos um pacotinho de semente numa dada superfície comercial com indicações em vários idiomas, excepto português, e que traduzimos como feijão espanhol.
Sem grandes expectativas fizemos a sementeira e a colheita pode-se dizer que foi o normal a par da produção do nosso feijão rajado mas colhemos igualmente a semente.
Este ano ( 2015) a produção de vagens, quer na quantidade quer no tamanho, superou e muito o nosso tradicional feijão.
Há muito que utilizamos redes para o feijão trepar e a altura das redes foi pequena tendo chegado muito próximo dos 3 metros e notamos que a flor era de tom alaranjado, quando a flor do outro feijão varia entre o branco e o rosa.
Tudo isto despertou a nossa curiosidade para uma rápida pesquisa na net e afinal designa-se por... feijão-da-espanha.

Resta-nos esperar por uns dias de sol para colher as vagens secas para semente mas mesmo assim já dá para comparar na foto as duas variedades...

... e lá fora o mau tempo continua com muita chuva e forte ventania.




1 comentário:

  1. Ainda bem que chove, preciso que chova muito, o meu quintal a última vez que lá estive parecia uma calçada, duro e com rachas.
    O feijão faz-me lembrar o da minha mãe, é bonito.
    beijinh Eugénia

    ResponderEliminar